PANDEMIA MOSTROU QUE A TECNOLOGIA É UMA GRANDE ALIADA DAS IGREJAS

Eklesia - Gestão de Igrejas

A pandemia da Covid-19 adiantou os avanços tecnológicos em vários setores, e com as igrejas não foi diferente. Impedidas de funcionar por conta das medidas de restrições, os templos foram forçados a usar recursos tecnológicos para alcançar os fiéis.

Vinte meses mais tarde, com a redução do contágio e a reabertura gradual dos estabelecimentos, as instituições voltam a retomar suas atividades mantendo o uso da tecnologia que chegou para facilitar as relações entre fiéis e lideranças.

Muitos dos recursos utilizados serão mantidos por várias questões, o que nos faz listar os principais deles que serão tendências nos próximos anos até que todas as igrejas estejam inseridas nesse novo mundo.

Transmissões ao vivo devem continuar

De portas fechadas, a internet se tornou a única forma de se conectar com o público. Líderes de igrejas de todos os tamanhos precisaram criar uma equipe de mídia para fazer transmissões de cultos online.

Segundo dados de uma pesquisa do Invisible College com igrejas brasileiras, duas a cada três igrejas possuem uma equipe de mídia atualmente.

O mesmo estudo mostra também que o conteúdo em vídeo é o principal recurso adotado pelos templos em razão da pandemia.

As transmissões ao vivo estão entre as principais tendências de tecnologia que as igrejas adotaram pelo isolamento social e que deve ser continuada mesmo com o final das restrições.

E há um motivo para isso: os fiéis mais ativos não deixarão de frequentar os cultos, mas muitos vão continuar assistindo pela internet, uma forma interessante até de conquistar novos membros.

A revista Outreach Magazine chega a dizer que há três tipos de fiéis: os mais ativos, os que participam com menor frequência e os que vão aos cultos no máximo duas vezes por mês.

O último público, segundo o estudo norte-americano, é a maioria nos templos. E, ainda seguindo a revista, esses frequentadores esporádicos se acostumaram com a transmissão de cultos e dificilmente retornarão aos templos de forma presencial.

As igrejas que querem implantar ou melhorar as transmissões de cultos ao vivo contam com o sistema Eklesia, um aplicativo com várias funcionalidades para instituições religiosas, incluindo a transmissão de cultos e eventos, permitindo que a membresia acesse diretamente pelo aplicativo.

Tecnologia para gestão de membros

A pandemia também transformou a realidade das igrejas, com muitas perdas de fiéis para algumas denominações e o aumento de membros para outras.

A Outreach Magazine notou que nos EUA um grande número de pessoas mudou de igreja por razões diversas, inclusive pela forma como cada denominação adotou as medidas sanitárias impostas pelas autoridades locais.

A polarização política (nos EUA e que também pode ter refletido no Brasil) também foi motivo para que os cristãos trocassem de igrejas.

Com essas mudanças, a tecnologia surge como a melhor forma de manter o controle sobre quem é membro da igreja.

O aplicativo Eklesia tem um sistema exclusivo de gestão de membros e também de visitantes. A tecnologia utilizada permite que a liderança mantenha os dados atualizados e ainda oferece formas de comunicação por e-mail, SMS e por notificações através do App.

O Eklesia oferece às instituições religiosas uma tendência mundial que são aplicativos móveis personalizados que simplificam o relacionamento entre lideranças e membros.

Imagina só poder anunciar para todos os frequentadores da igreja que acontecerá um evento especial no final de semana. Ou ainda, emitir uma mensagem exclusiva para os visitantes e assim estreitar o relacionamento com essas pessoas.

Grupos familiares e células foram alternativas eficientes

Uma das alternativas adotadas pelas igrejas em razão do isolamento social foi a implantação ou fortalecimento de pequenos grupos, segundo o estudo do Invisible College.

Chamados de grupos familiares ou células, essa atividade deve se fortalecer após o fim das restrições por conta das facilidades de acompanhamento pastoral.

A agilidade de criar uma reunião virtual com poucas pessoas através de ferramentas como Meeting, Hangout e Zoom, por exemplo, permitiu que as conexões já existentes se mantivessem fortes.

Por outro lado, em regiões com falta de internet, as instituições precisam encontrar formas de suprir a falta do culto presencial incentivando o culto familiar e as visitas.

Em todas as situações é possível utilizar tecnologia para fazer o controle desses grupos usando o sistema exclusivo do app Eklesia.

Controle financeiro é um dos maiores desafios das igrejas

O Invisible College questionou os entrevistados sobre os principais desafios da igreja para o futuro pós-pandemia.

A questão financeira se tornou o principal deles. Com igrejas vazias, a arrecadação caiu drasticamente e as instituições precisarão contornar os prejuízos.

E mais uma vez a tecnologia surge como a melhor alternativa para ajudar na questão da contabilidade.

Segundo o Reach Right Studios, o gerenciamento de igreja através da internet é uma das tendências para o mundo pós-pandemia.

Utilizando um sistema simples de documentos é possível substituir as planilhas de papel que fazem o controle contábil das instituições.

Os líderes que procuram um sistema eficiente, podem contar com o Eklesia que possui um serviço de controle financeiro completo para agilizar o processo de lançamentos no sistema contábil da igreja.

Com o aplicativo do Eklesia é possível que toda a sua equipe acesse arquivos, rastreie dados e cumpra as responsabilidades administrativas estando em qualquer lugar, de forma simples e ágil.